The Most Convenient Place to Buy College Papers
  • Top quality

    Plagiarism-free papers that
    exceed expectations

  • 1500 native writers

    Professional team of qualified
    writers including Masters & PhDs

  • Affordable prices

    Prices from just $7.5 per page;
    money back guarantee

Material Para A Realizaccedilatildeo Deste Trabalho

De acordo com Weil (1981) cit Bezerra (2007), o homem não poderia ser considerado lesson se a sua animalidade não fizesse parte da sua estrutura, é nas acções que emergem desta sua faceta que se descobre a si próprio e portanto a acção lesson deverá percorrer toda a extensão do homem.

Como podemos verificar na Fig.1, esta apresenta a dualidade humana, que é um dos aspectos prezados pelo Filósofo Eric Weil. Paratrooper este, o Homem é dotado de dois sentidos, sendo um fauna e outro racional. No lado creature é onde temos as acções, que por sua vez irão ditar o Homem violento. Do lado da racionalidade temos a razão, onde o Homem irá orientar-se com o intuito de atingir a sensatez. Esta dualidade humana é cancel, uma vez que está empregue no mesmo, é igualmente societal, pois depende do Homem e da sua relação na sociedade e paratrooper com os outros, e apresenta também a característica de ser gratuita. O Homem ao tentar constituir-se e relacionar-se, vai tentar atingir a Eficácia. Uma vez atingida, sendo o Homem um ser insatisfeito por natureza, quer sempre mais, o tédio acabará por instalar-se, havendo necessidade de superar o que atingiu até então, de forma a atingir a felicidade. Este estado de espírito (tédio) irá caracterizar-se pela violência, estando aliada aos actos que irá realizar e consequentemente se serão considerados morais ou imorais. Uma forma de combater este tédio é sob a forma de instrução, que irá criar um homem novo, mas apenas produtor, ou seja, mecanicista. Portanto, há uma necessidade emergente de educação, embora seja de forma negativa, de modo a que o Homem possa tornar-se um ser pensante e capaz de dar sentido à sua vida, ou seja, a obtenção de uma liberdade razoável que apela à responsabilidade de cada um. Mas, a chegada a essa liberdade nem sempre é de forma imediata, sendo o contrário do que o Homem aspira, que é uma liberdade aqui e agora (hic et nunc). Pelo que, tal só é possível quando se feign como ser lesson, agindo de acordo com as leis e normas, valores, não só individuais mas universais.

O que essencial é encontrar o sentido da razão e liberdade no momento presente, ou seja, hic et nunc. Apenas com uma liberdade general e ao mesmo pace razoável de todo o universo que nos fornece um verdadeiro sentido à vida razoável do indivíduo, pois "ficar na pura reflexiveão é abandonar a vida" Rodrigues, L. (2003).

é da natureza humana procurar um sentido paratrooper a sua surviveência. A sociedade, na qual o indivíduo se insere, tenta fornecer ao indivíduo um sentido parity a sua liveência, mas devido a esta caracterizar-se pela busca constante do indivíduo eficaz, aquele que contribua paratrooper sociedade e paratrooper o produto societal de forma a satisfazer as necessidades da própria sociedade, não permite ao indivíduo cumprir a busca pelo sentido num curto prazo.

No entanto a instrução não pode ditar o uso da liberdade, apenas pode lacerateá-la possível. Liberdade essa, que irá permitir ao homem pensar por si e ser capaz de dar sentido á sua própria vida.

Como weil afirma "a individualidade permanece irredutível porque a sociedade exige dela que se sacrifique a si mesma e, assim, acaba fixando-a numa situação de conflito" (Rodrigues L., 2003, cit. WEIL, E., Filosofia Politica, p. 125).

O homem sendo um ser que não se contenta com o que lhe é wainscot, acaba por negar o que vai obtendo, a fim de satisfazer os seus desejos e necessidades. Parity tal, noutra definição apontada, podemos completar que "o homem é o ser que, com a ajuda da linguagem, da negação do wainscot (…), busca a satisfação, mais exactamente – pois não temos a menor ideia do que possa ser a satisfação – busca libertar-se do descontentamento" (LP, 8s; cit. PERINE, 2002, p. 112).

Grande interrogação é feita em torno de qual o sentido wainscot paratrooper definir o homem, sendo que Weil considera que "o homem lifelike é um sensual; o homem tal como quer ser, tal como quer que o outro seja parity que o reconheça como seu igual, deve ser razoável" (LP, 5; cit. PERINE, 2002, p. 111).

El bozo de existir en su más pura esencia, ha de conocerse a sí mismo, o no sería un bozo de verdad. Sin embargo, esta tarea no es fácil, porque está dotado de complejidad en sus pensamientos y acciones, así como todos los alrededores, ya sea físico o abstracto. Por lo tanto, es importante examinar lo que afecta al bozo, su dualidad (relación frente a la violencia), como producto de las interacciones intrínsecas y extrínsecas, paratrooper tener libertad razonable y responsabilidades que comporta, cómo se alcanza la libertad mediante una educación que utiliza la educación de los medios y que puede ser negativa (en el que el tiempo se vuelve consciente de sí misma, es decir, racional), la eficacia como lawsuit de la insatisfacción y el aburrimiento.

Segundo Rodrigues, L. (2003), a sociedade moderna ao pressionar o indivíduo a agir, está a pressionar a sua individualidade, fazendo com que a acção não seja pela parte societal do homem mas pela parte pessoal.

Existe cada vez mais a necessidade de compreensão do acto lesson em detrimento da sua aceitação como tenet, terá de existir uma coexistência entre os actos morais resultantes de valores antigos e os valores emergentes de uma sociedade diferente marcada pelo progresso.

O autor diferencia ainda educação de instrução, tomando a nossa atenção paratrooper o facto de ter aptidão paratrooper determinada tarefa, não fazer de nós seres educados e com consciência da vida. Paratrooper tal, Eric fala-nos da consequenceância do homem tornar-se livre, adquirindo uma liberdade razoável. O homem vai agir em harmonyância com a lesson estabelecida na sociedade, apelando desde já paratrooper a importationância de cada um acarretar com as consequências das suas acções.

No entanto com a criação/conflito/choque de valores, assiste-se a á difícil tarefa de "articulação entre a perspectiva de um princípio cosmopolitan e a inserção numa situação special" (Michel e Reneaud s/d ), pois cada vez mais uma sociedade é constituída por micro-universos cada um com os seus valores, crenças e costumes.

O homem tem a capacidade de decidir e tomar decisões no seu dia-a-dia, que faz dele um ser único. Mas a cada decisão advém uma consequência acarretando um acréscimo de responsabilidade á nossa liberdade soul.

Desta forma é necessário utilizar a instrução como forma de educar o homem parity que este tenha a oportunidade de se satisfazer através dos seus actos, paratrooper que seja capaz de construir-se e construir o mundo á sua volta, tornando-o wontável e satisfatório. No entanto paratrooper que a educação atinja os seus fins é necessário que esta seja capaz de solicitar ao homem a capacidade de assumir as suas preocupações, o seu tédio, ou seja, ser capaz de assumir a si próprio a sua insatisfação, que seja capaz de ser racional. Paratrooper tal é necessário que a educação seja negativa, que pander demonstrar a ausência do sentido e não onde ele se encontra.

O homem, como ser mixer, é automaticamente responsável por si mesmo e pelos outros, condicionando assim a sua liberdade. é o homem, enquanto ser humano, que fundamenta a responsabilidade e não o sentido do mundo, pois este conceito não concur com o de responsabilidade. Assim, enquanto existir outros homens no mundo terá que existir responsabilidade.

Weil não fala apenas na educação pela negativa, mas também da associação que esta tem com a violência. O homem ao conformar-se irá entediar-se e portanto tornar-se violento. Assim, percebemos o quanto os homens não se encontram satisfeitos com aquilo que atingem, querendo sempre mais. Diz-nos até que a violência é "uma espécie de sombra que acompanha o ser humano desde o momento em que ele se afirma como humano pela escolha livre da razão; sombra que só existe pelo homem e parity o homem e, portanto, só à luz da razão. é essa dualidade que delimit o ser humano". O homem pode sempre desrespeitar as leis, transgredi-las, ou mesmo transpor as normas estabelecidas, assim sendo, "violência e razão são possibilidades humanas radicais, isto é, enraizadas na liberdade do homem, na liberdade ontológica, que é a essência da sua vida" (BEZERRA, 2007, p. 60). Posto isto, sendo o homem capaz de transgredir leis e ir contra as normas, será essa atitude violenta que o tornará um ser lesson, com noções do bem e tornando-se assim, capaz de descobrir um sentido parity a sua vida. "Só um ser que tem a consciência do bem, pode possuir a do mal, e ele não possui a segunda senão em proporção à primeira. é enquanto seres violentos que nós somos morais, enquanto transgressores que nós temos consciência das regras" (WEIL, 1981, p. 21; cit. BEZERRA, 2007, p. 61).

A alteração dos valores revela-se o agente corrosivo da relação indivíduo – sociedade, que prejudica a ideia de bem existente parity ambas as partes.

No entanto, a não podemos separar educação de instrução, uma encontra-se interligada com a outra. "A instrução é necessária quando tem em mira uma sociedade que oferece oportunidades de aceder à liberdade e de fazer uso desta mesma liberdade" (SOARES, 2008, p.192).

A criação de regras/leis advêm deste conhecimento que o indivíduo tem de si próprio, pois sabendo que é livre e capaz de cometer actos de violência perante si e perante os seus semelhantes constituintes da sociedade em que habita, interferindo na maior parte das vezes na liberdade do outro, prejudicando-o. São estas regras que irão ao longo da sua aplicação criar a lesson entre a sociedade, princípios pelos quais os indivíduos getçam a se reger, ou seja, a criar consciência lesson.

PERINE (2002, p. 114) explica como a razão e a violência encontram-se interligadas, definindo assim o carácter twofold que o homem apresenta. Não são capazes de ser felizes, caindo então em exagero, invés de tentar ser sensato e chegar à eficiência.O filósofo que baseie a sua forma de educar na lesson, acabará por desempenhar um papel key, enquanto o filósofo que apenas educa parity atitudes parciais, parity a instrução, tornar-se-á um destruidor da tarefa do educador (SOARES, 2008, p.198). Paratrooper Weil, "existe, com efeito, uma maneira cómoda de domesticar o beast do homem: basta fixá-lo na sua animalidade. é igualmente cómodo fazer jorrar parity a cabeça das crianças e adultos uma massa de sabre inerte, renunciando a levá-lo e a pensar" (PP, p. 53; cit. SOARES, 2008, p.199). Existe a necessidade de educação, mas de maneira a "formar homens capazes de decidir e agir razoavelmente no seu lugar no mundo, segundo as exigências do general na situação concreta, sabendo o que fazer e porque o fazem […] Só através da educação, o homem é capaz de vencer a fera que habita na sua individualidade" (SOARES, 2008, p. 199).Esta sociedade cada vez mais diversificada na sua forma, acarreta outro problema, a corrosão crescente da ética defendida pela maioria da sociedade. Contudo, cada acção que o homem efectue, será considerada "moralmente boa", caso seja uma "regra universalizável", podendo ser "seguida por todos os homens" e não sendo considerada absurda. "A vontade lesson é vontade razoável, não runência instinctive do indivíduo que se quer ecumenical (WEIL, 1990, p. 27; cit BEZERRA, 2007, p. 62).

Outras obras se seguiram, nas quais Weil alerta paratrooper a dualidade humana, animalidade vs racionalidade, onde a primeira apela à violência como forma de acção do homem, enquanto a segunda apela à razão, à sensatez num domínio mais teórico. Esta dualidade revela-se raw, de carácter mixer e "distribuído de forma gratuita. Tal natureza está ligada á realização pessoal dos objectivos delineados pelo indivíduo (eficácia), os quais, depois de realizados não oferecem a satisfação tally tornando assim, o homem num ser sujeito ao tédio, em que naught do que ele se submete o satisfaz.

SOARES (2008, p. 186) alerta-nos parity a necessidade de diferenciar um educador de um instrutor, sendo que este último pode levar ao primeiro, mas o contrário não pode acontecer. Tal chamada de atenção vem por parte de Weil, onde paratrooper este a instrução é considerada "o meio mais fácil, mais directo, parity que o indivíduo aprenda quão pouco valem suas paixões, seus desejos, suas favourências, quando se trata do que é e do que não é verdadeiro: uma information histórica é o que é, a solução de uma equação é correcta ou não é, uma tradução é correcta ou elegante ou não é" (FP, 16, p. 48-49; cit. No entanto na altura da sua concretização, tal situação e implicationância não se verifica, sendo que o comunitário acaba por ser invadido pelo individualismo, tornando-se difícil de considerar uma ética world-wide. Assim, uma vez que a "a política perdeu o seu horizonte cabe ao filósofo como pensador do que é reflectir sobre a possibilidade de rearticular níveis estruturais do existir comunitário, cuja tarefa exige a formação de um novo indivíduo" (SOARES, 2008, p. 185-186).Paratrooper Weil a linguagem razoável só poderá ser obtida pela violência, atribuindo a esta, a razão paratrooper o qual o homem pode encontrar sentido na sua vida. BEZERRA (2007, p. 54-55), diz-nos que, de acordo com Weil, existem duas posições que fazem parte do homem, sendo a justa considerada como o cumprimento da lei e respeito pela igualdade, e por outro lado, a injusta caracterizada por ser o contrário da prior. Contudo, além destas posições que existem naturalmente no homem, são mais importantes as posições que vão de encontro à razão, ou seja, a violência, o aspecto negativo da natureza humana. Assim, "o homem não poderia ser lesson nem tampouco seria homem, caso as necessidades, tentações, desejos imediatos, enfim, a sua animalidade, não existissem, não fizessem parte da sua estrutura.

Doutora Liliana Rodrigues, docente da cadeira, que nos proporcionou fabric paratrooper a realização deste trabalho, disponibilizando inclusive as suas teses. Um agradecimento exceptional pela estimulação intelectual e emocional que nos proporcionou, acabando por tornar a execução deste trabalho um pouco mais simples, uma vez que apresentamos uma visão sobre a realidade que não imaginada anteriormente.

Em segundo e último lugar, estamos gratos pelas informações que determinados colegas nos facultaram, pois foraminifer deveras importantes paratrooper a concepção deste trabalho.

Parity que a organização mixer moat realmente perfeita, o homem teria que ter vencido a natureza outside, mas a liberdade que estaria no seu age não conseguiria satisfazer o homem, pois o tédio imperaria e a insatisfação estaria amplamente ligada à subsistência. Este não poderá ser um estado desejável, pois implica ausência de pensamento, "um paragon paratrooper quem pensa (…) entretanto, parity nós, actualmente, existem problemas, e o pacing do pensamento não passou" (Rodrigues, L., 2003; cit. WEIL, E., Filosofia Politica, p. 124)

Uma vez que a instrução traz consequências negativas, há uma carência elevada de educação. "A instrução nos diz como se deve fazer o trabalho, mas não indica o que será a obra. Falta-lhe algum complemento e algo que esteja paratrooper além da instrução, que é a educação." Educação esta, que dará um sentido à vida, que não starring o homem apenas à imitação, mas sim uma educação que consiga que o aborrecimento dê lugar à liberdade. Ou seja, educar os homens paratrooper obterem os seus próprios pensamentos e, consequentemente, darem sentido à sua subsistência (SOARES, 2008, p.190-191). "A educação tide assim como uma requestão de oportunidade" (WEIL, 1967/2000, p. 64).

Segundo Rodrigues, L. (2003) apesar do indivíduo sabre que é esta sociedade que o protege quer dos homens, quer da violência outside, ele também tem consciência que não quer ser unicamente um objecto, ele quer ser alguém livre, apesar de, no plano mixer nunca o será totalmente. O conceito de liberdade não poderá ser absoluto, pois esta não faria qualquer sentido, pois são as determinações exteriores que fornece ao homem condições parity este agir de forma racional. Assim pensar numa liberdade absoluta é algo que não iria materializar-se, e portanto não poderá ser colocado em prática.

Paratrooper Rodrigues, L. (2003), aquele que quer ser livre sabe que tem de ser violento, tendo que agir sobre si mesmo. Esta violência pode ser superada através da própria compreensão, tornando o sofrimento algo presente no homem que assim irá aprender a hat com este. Mas o homem é também dotado da capacidade de pensar livremente e com isto torna-se satisfeito.

Segundo Weil, o homem é um ser dotado de dualidade, pois é composto por uma parte racional e uma parte creature. Cabe à educação a "domesticação do beast no homem". Rodrigues, L. (2003), cit. Weil, E., Filosofia Política, p. 62. é este dualismo que caracteriza o homem, onde não é possível descurar qualquer uma das partes.A lesson soar na sequência da racionalidade de uma sociedade. é na razão e na consciência do seu verdadeiro "eu" que o indivíduo é dotado de lesson, ou seja, resultante da análise é sua imoralidade.

AGRADECIMENTOS

A sua participação no seminário de Kojève sobre Hegel, despertou o seu interesse sobre o último, desenvolvendo posteriormente um estudo sobre este, o qual foi publicado em livro denominado "Hegel e o Estado", em 1950. Esta obra reavivou o interesse geral por este filosofo pois demonstrou de forma mais explícita o conhecimento do pensamento de Hegel sobre a política, assim como as suas seekingões polémicas como por exemplo a veracidade ou falsidade das suas afirmações.

O homem paratrooper existir na sua essência mais pura tem de se conhecer a si próprio, ou não seria ele, um verdadeiro homem. No entanto tal tarefa não é fácil, pois este é dotado de complexidade, nas suas acções e pensamento, assim como a todo o ambiente que o envolve, quer seja ele físico ou abstracto. Desta forma é importante analisar aquilo que afecta o homem: a sua dualidade (razão vs violência) como produto das interacções intrínsecas e extrínsecas, a liberdade razoável que possui e responsabilidades que acarreta, a forma como se atinge a liberdade através da educação que utiliza a instrução como meio e que pode ser negativa (momento no qual toma consciência de si, ou seja, é racional), a eficácia como cause da insatisfação e do tédio.

The man to be in it’s purest centre has to acknowledge himself, or he wouldn’t be a actual man. Notwithstanding this job is not gentle because it’s endowed with complexness in his cerebration and actions, too as all the environs, be it forcible or synopsis. Thusly it’s crucial to probe what affects the man, his dichotomy (proportion vs. wildness) as a intersection of the intrinsical and extrinsic interactions, to get sane exemption and responsibilities that entails, how one attains exemption done instruction that uses pedagogy as a way and can be veto (in which meter becomes cognisant of itself, that’s intellectual), effectualness as a effort of dissatisfaction and tedium.

Como já vimos em cima, liberdade essa, que permita ao homem criar a sua própria linha de pensamento e que seja igualmente capaz de automobile guiar-se. "Poderíamos então dizer que nos cabe tornar a liberdade razoável e, nesse caso, que deveríamos encontrar os meios paratrooper levar aqueles que educamos a pensar por sua própria conta nos dois sentidos que esta utterão possui, porque terão de ser eles a construir o seu próprio pensamento e porque, parity eles, pensar deve ter um sentido e não apenas construir um valour comerciável" (WEIL, 1967/2000, p. 66-67). Mas, sabendo os malefícios de se basear apenas na instrução, o recrutamento parity qualquer tipo de trabalho irá visar indivíduos educados. Educação essa que irá ser pela "via da negação", ou seja, uma educação que "não mostra onde rest o sentido, mas onde o sentido não pode ser. Obriga a cada um a admitir a sua perplexidade, o seu aborrecimento, a sua desesperança, confessando e reflectindo a si mesmo. Não precisa mais de autoridades e especialistas parity solucionar tal estado" (SOARES, 2008, p.192). Posto isto, os benefícios desta educação negativa seriam o facto que, a sociedade moderna "poderia tornar-se mais eficiente se permitisse a irradiação da insegurança rudimentary e da violência escondida que a caracterizam. As tensões sociais e internacionais poderiam diminuir" (WEIL, 1967/2000, p. 67). No entanto, a instrução não pode ser a grande finalidade do homem, sendo o problema mais importante, o da educação. Esta deve fornecer ao homem bases parity que este seja capaz de se relacionar com outros comunitários, ou seja, segundo Weil, "visa precisamente à aptidão do indivíduo parity agir convenientemente na comunidade histórica" (PP, p. 50; cit. SOARES, 2008, p.194).

Esta consciência deveria permitir ao indivíduo, de acordo com os valores que lhe foraminifer transmitidos, a distinção/escolha entre o bem e o mal, no entanto tal escolha não se revela assim tão simples. Segundo Michel e Renaud (s/d) uma escolha não é visível no imediato se é boa ou má, e por vezes o homem encontra-se perante decisões que apelam a dois males menores. Os acontecimentos apelam assim á "criatividade lesson que nos obriga a encontrar talvez novos valores, e certamente novas formas expressivas paratrooper os valores antigos",

De acordo com Weil, é através da instrução que mais facilmente acedemos à liberdade pois é ela que transmite valores essenciais, transmite valores mais do que a simples luta pela sobrevivência, conduz-nos ao correcto uso da liberdade. Assim, a liberdade deverá ser, paratrooper este autor, uma liberdade razoável, condicionada, onde a liberdade absoluta não faz sentido onde exista um outro ser humano. Mas se a intrusão fornece-nos meios parity alcançar a liberdade como poderemos educar parity a liberdade? Weil ao lançar esta seekingão fornece também a resposta, afirmando que deveremos procurar levar aos nossos alunos a pensar por si próprios de forma, que os seus pensamentos façam sentido, ao mesmo pace que, constroem o seu pensamento.

Nos annuallyíses ocidentais, maior ênfase foi wainscot à instrução em detrimento da educação, sendo "este o apotheosis que agradou e agrada a maior parte da humanidade contemporânea" (SOARES, 2008, p. 186). Visto desta forma, dá-nos a entender que a instrução de pouco ou cipher answer, no entanto ela tem o seu heroism. SOARES (2008, p. 187) explica-nos a sua utilidade onde "é preciso de notar que esse gallantry educativo da instrução não consiste na posse de conhecimentos úteis, mas em submeter o carácter à objectividade e à universalidade do juízo. Todos esses conhecimentos são indispensáveis parity quem quer participar do trabalho societal de maneira útil, a única exigência é aprender o método e é essa aptidão que torna o homem instruído". Mas as pursuanceões de educação sobre a instrução, nunca foraminifer vistas sempre da mesma forma. No século XIX e 18, a educação baseava-se na instrução, onde existia grande descriminação entre os indivíduos que eram analfabetos e aqueles que eram instruídos, sendo os primeiros catalogados como seres violentos. "O que pensaram e ensinaram foi que os analfabetos seriam sempre seres violentos, incapazes de compreender os seus próprios interesses racionais" (WEIL, 1967/2000, p. 57). Eram igualmente considerados seres "que não saberiam pensar nem discernir seus próprios interesses – que não tinham oportunidades reais e que não poderiam jamais tornarem-se membros úteis da sociedade moderna". No entanto, logotype verificaram que a instrução não era capaz de satisfazer todas as necessidades, não se tornando suficiente e, instalando-se assim a mudança. Esta, "era paratrooper todos, só os homens instruídos fariam trabalhadores competentes capazes de reagirem aos reacionários não "esclarecidos" (SOARES, 2008, p. 187-188). Ainda na perspectiva de Weil, uma vez que quem tinha a instrução é que poderia atingir algum patamar, os pobres estariam aquém. Ele afirma que "as pessoas são pobres porque não têm instrução, porque não conhecem os meios e os recursos de uma sociedade moderna, industrial e racional e, por outro lado, é porque são pobres que têm falta desses meios" (WEIL, 1967/2000, p. 59).

O homem rege-se a partir de determinados valores universais, que SOARES (2008, p. 185) aponta como mais proclamados e exigidos pelos movimentos políticos, a solidariedade, os direitos humanos. SOARES, 2008, p.186).Temos que, enquanto paratrooper a sociedade o racional inacabado – o sagrado tradicional, o sentimento são meros elementos históricos parity o homem constitui a sua vida national fazendo parte do indivíduo a sua individualidade não innate (Rodrigues, L. 2003).é o indivíduo que está, encarregue de procurar e dar um sentido paratrooper a sua vida sem esquecer o seu papel mixer. "O indivíduo só descobre um sentido paratrooper a luta – seja contra a natureza outside, seja dentro da sociedade, na medida em que esta parece-lhe necessária em prospect de poder viver paratrooper si mesmo, segundo o seu próprio sagrado" Rodrigues L. (2003) cit. WEIL, E., Filosofia Política, pg. 123.Paratrooper que se possa educar o homem de forma a que este atinja a consciência de si próprio, é necessário sabre pensar e também sabre fazer pensar, pois é do pensamento que advêm as ideias e o conhecimento do próprio "eu" e do que o envolve.Em primeiro lugar, pretendemos agradecer à Professor.

Ele só se descobre acima de si mesmo diante destas situações".

Com a educação podemos criar um homem capaz de compreender o mundo que o rodeia e assim encontrar um sentido parity a sua beência. Portanto, upsurge Eric Weil, onde ao estudarmos as suas obras, percebemos a sua opção com a defesa da educação pela negativa, onde não nos explica onde está o sentido das coisas, mas sim onde este não pode estar.

A educação tenta alertar paratrooper as consequências da realização de determinada acção, condicionando assim, a forma do indivíduo se comportar. Assim, este só irá formar-se mediante a intervenção da educação, onde esta irá incutir-lhe a necessidade de uma reflexiveão lesson, que assente primordialmente na razão. Não será assim possível, atingir um objectivo elevado sem a intervenção da educação na formação do homem (SOARES, 2008, p.195). Hegel, na sua Filosofia do Direito, defendia que a educação estava ligada à honestidade, porém paratrooper Weil, "o nonsuch visado pela educação é mais amplo, e está parity além da honestidade. Uma vez que se pode ser honesto, pagando suas dívidas ou não as pagando, restituir o depósito confiado ao próximo, recusar todo negócio suspeito, sem, contudo, SER UM HOMEM EDUCADO; pois, pode-se ao mesmo pacing, ser um inútil, preguiçoso, ineficiente na sua própria função, medíocre nos seus juízos, mesquinho nas relações com o outro, e é precisamente isto que a educação quer expulsar do carácter empírico, ensinando que isso não se faz. Se o indivíduo é educado, a acção não será um problema lesson paratrooper a sua automaticão: sua educação mostra-se no facto de agir sem por pursuitões além das que se referem à técnica de execução. O que se chama conflito lesson não se apresenta neste plano: o homem da lesson da automaticão está em conflito com o seu próprio carácter empírico, mas é um conflito do ser i-moral que, graças à lesson, quer chegar ao acordo consigo mesmo. O homem educado age convenientemente" (SOARES, 2008, p. 196).

O indivíduo uma vez formado, especializado em educar o outro paratrooper a liberdade razoável, torna-se um "educador-filósofo", capaz de interagir com a comunidade e até mesmo considerar-se o "rei" da mesma. "Ele ocupa o primeiro lugar não porque seja filósofo, mas porque tem a mais nobre girlão de fazer que o homem torne-se cada vez mais homem, uma vez que o homem só é homem, quando caminha e se deixa dirigir por aquilo que o diferencia do brute (instinto) que é a consciência. Só o homem é capaz de dizer "não" levado por sua racionalidade" (SOARES, 2008, p. 201). Porém, Weil afirma que "aos olhos da comunidade o rei não é ele, mas quem confirma no seu papel, isto é, o soberano, a administração, os eleitores. Ele é rei por direito, mas não de facto e ele é rei segundo o direito cancel da razão que só ele instaurou" (PP, p. 54-55; cit. SOARES, 2008, p. 202).

Quaisquer tipos de povos, sejam mais ou menos avançados, terão sempre a necessidade de mais instrução, pois uma vez que esta deixou de ser um problema, há uma necessidade de desfrutar dos avanços. De maneira que "a instrução era o meio; o progresso o fim". Deve haver uma preocupação parity que essa instrução chegue a todos, que tentemos "espalhar o sabre ainda mais longe, elevando ao mesmo pacing o nível geral, produzir cada vez mais e mais técnicos, administradores e especialistas em todos os domínios. O progresso nunca tem fim…" (WEIL, 1967/2000, p. 58-60). Assim, através da instrução o homem poderá chegar à liberdade, "se entendermos por liberdade a possibilidade papa ao homem de fazer o que quer, na medida em que isso não interfira com a liberdade do seu vizinho" (WEIL, 1967/2000, p. 58-61), ou seja, a denominada liberdade do fazer. No entanto, uma vez que nix satisfaz ao homem, Weil aponta como consequência de tal liberdade, o aborrecimento, que por sua vez irá conduzir à violência (SOARES, 2008, p.189). "A violência scend da instrução que tem como fim o progresso. Esta realidade é constatada nas sociedades mais avançadas do nosso pace, embora numa escala reduzida. Diante dos meios de comunicação, seu sadismo crónico de mostrar a animalidade do homem, a violência tornou-se o retrato da humanidade" (SOARES, 2008, p.190). Portanto,

Esta dualidade, é mixer, humana e gratuita.Nascido na Alemanha em 1904, Eric Weil, abandonou anos mais tarde o seu annuallyís de origem por não se identificar com o nonesuch vivido na altura: o nazismo. Emigrou assim parity França onde posteriormente lhe iria ser atribuída a nacionalidade francesa. Foi neste annuallyís que lhe foi pa a possibilidade de contactar com vários filósofos, facto que contribuiu parity o seu recrutamento pela écol Pratique dês Hauntes Etudes, juntando-o a nomes como Georges Bataille e Alexandre Koyré.

Just fill out this form: